domingo, 15 de setembro de 2013

Silêncio em vida...

O silêncio aparente não soa ao ritmo da vida...
A voz que cala é a mesma que escorre em sons...
Inesperadamente as cortinas se fecham...
Na sonoridade do querer
Não há espaço para o ser!
Apenas e totalmente protagonista em si...
Ausência constante de roteiro e significância.
Mais conveniente imitar, copiar, sem esquecer de criticar!
Para que criar? Para que transformar o comum?
Quero ver a mudança acontecer?
Ou simplesmente ser a mudança que querem de mim?
Perco minha essência nesse jogo de querer e poder...
Nada além de mim...
O tudo que transpõe a realidade em verdade.
Ações que incomodam e apavoram.
Atitudes que me fazem plena.
O descuido do "não",
Que permite a vida acontecer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário